A arte do desapego: guia completo para controladores e insatisfeitos

você se considera um etern@ insatisfeit@, controlador@ e inconformad@?

talvez fosse melhor rever essas programações em seu software.

um movimento qualquer que tem sua causa pela insatisfação é opressor.

nos faz agir à partir da comparação, da competição, do medo, da auto desvalorização.

você o faz pois almeja uma posição melhor. você olha X, Y ou Z fazendo coisas incríveis e deseja ser/ter/realizar como eles.

pelo outro lado, um movimento que tem sua causa pela satisfação te liberta. te faz ter certeza de onde você quer chegar. é movido pelo amor, pela alegria de viver.

é sentir que o agora está incrível e quem sabe pode melhorar, mas… se não melhorar, tudo bem.

se fossemos seres humanos perfeitos, versão G.O.D, seria fácil apenas ler essas palavras e mudar.

mããããs… sabemos que não é bem assim que funciona a atualização do nosso software interno…

no meio do caminho, existe um paradoxo: como atualizar da insatisfação para a satisfação e ao mesmo tempo não se acomodar?

afinal, a zona de conforto e falta de ambição também são fatores que limitam o crescimento.

vamos por partes:

gosto de pensar que a vida gira em torno do movimento entre masculino e feminino: atitude e entrega, controle e desapego.

para qualquer movimento acontecer de maneira harmônica, é necessário um equilíbrio:

50% de atitude + 50% de entrega
50% de controle  + 50% de desapego 

planejar, listar, executar, agir para então entregar.

garantir que tudo está sob controle, que você deu o seu melhor: listou, planejou cada centímetro, e só depois entregar, deixar acontecer.

ter a consciência de que você deu o seu melhor até certo ponto, mas que você não pode ter controle sobre os resultados.

aceitar que querer ter controle sobre os resultados só te fará um ser humano inconformado, vivendo sobre ilusões e expectativas criadas pela mente.

qualquer movimento necessita desse equilíbrio, do contrário você fica estagnad@ e frustrad@.

apenas agir no modo da entrega, do desapego pode ser tão ruim quanto apenas agir no modo controlador: executar, trabalhar, fazer, dar 200%, ultra performance.

afinal, se você só entrega e desapega, você não atua.

se você apenas atua e controla, querendo tudo 100% sob controle, você não dá espaço para a entrega, para se surpreender.

o Bhagavad Ghita, antiga escritura hindu aborda esse tema de uma maneira bem interessante, discursando sobre agir e atuar no mundo, mas doando sempre os resultados ao universo (ao cosmos, universo, Deus, o que quer que funcione para você). separei alguns versos para você ler e se inspirar ;D

“A ação desapegada é também chamada de Seva, Karma-yoga, ou trabalho, ciência da ação própria, e yoga da tranqüilidade. Um Karma-yogi trabalha com amor para o Senhor conforme a sua responsabilidade, sem o desejo egoísta pelos frutos do trabalho, ou apego egoísta para com os resultados, e torna-se livre de todo o medo.

Um trabalhador desapegado possui resoluta determinação somente na realização de Deus, mas os desejos de quem trabalha para desfrutar os frutos do trabalho são infinitos os quais tornam a mente inquieta. (verso 2.41)”

“Você tem o controle sobre os feitos apenas da sua responsabilidade, mas não controle ou reclamação sobre os resultados. Os frutos do trabalho não devem ser seu motivo, e você nunca deverá ser inativo. (verso 2.47) “

“O ignorante trabalha com apego aos frutos do resultado do trabalho, por si próprio, e o sábio trabalha sem apego, pelo bem-estar do mundo. (3.25)
O sábio não se preocupa, mas, inspira os outros pela realização eficiente de todos o trabalhos, sem egoísmo e apego; a mente do ignorante está apegada aos frutos do trabalho. versos (3.26; 3.29) “

torna-se livre de todo o medo. 

os desejos de quem trabalha para desfrutar os frutos do trabalho são infinitos os quais tornam a mente inquieta.

o sábio trabalha sem apego, pelo bem-estar do mundo.

engraçado que uma escritura que tem milhares de anos já fala sobre ansiedade e expectativas de uma maneira tão simples, e ainda fazemos tantas acrobacias mentais tentando explicar o por que estamos tão tristes enquanto seres humanos…

um pequeno “hack” que implementei foi escrever na janela do meu quarto, há aproximadamente 1 mês:

“os frutos são do universo” 

isso me faz lembrar, todos os dias ao acordar para a regra dos 50%:

50% é minha responsabilidade
50% é a entrega para o universo

< eu posso e devo agir nesse mundo, mas não posso nem devo ter a ousadia de querer ter controle sobre os resultados das minhas ações. />

a leveza e alegria que esse ensinamento me trouxe é algo que convido você a experienciar, depois de filosofar com essa sexta.. ;D

experimente aplicar esse pequeno “hack”, para saber o que acontece em sua vida.


// hacklife cast #15 | Eduardo Kobra

falando em desapego e confiar, se você curtiu a sexta filosofal você precisa assistir a esse episódio, onde tive o prazer de sentar com Eduardo Kobra.
um artista fora de série, responsável por fazer murais coloridos, hiper-realistas pelo mundo inteiro.

clique abaixo para escutar e conhecer mais dessa pessoa incrível por trás de obras tão fascinantes.
< clique aqui para escutar ou assistir AGORA />


// frase para você filosofar

#pt
“Não estou preocupado em computadores pensando como humanos, eu estou preocupado em humanos pensando como computadores”  #AI #love #God

#en
“I am not worried about computers thinking like humans.I am worried about humans thinking like computers – cold & precise” #AI #love #God

se você achou valor nesse conteúdo, passe adiante =)

envie para aquele amig@/ familiar que gostaria de terminar bem a semana, ou compartilhe diretamente do blog.


// receba por email 📩 :


// quero +

< clique aqui para acessar nosso arquivo com todos os artigos />