hackeando o futuro para viver de forma plena no presente 🔮🙏


Meu querido, minha querida, seja muito bem vindo ao Hack The Future, uma série especial que ensina como podemos nos tornar melhores seres humanos frente a tantas distrações e ruído da vida moderna. 🔊

A série Hack The Future explora o ser humano além do século 21. Através de um mergulho no futuro, vamos entender como direcionar melhor nossas ações, virtudes e valores no presente para criar uma vida de abundância e liberdade de forma leve, simples, divertida e equilibrada. 🧘

Reuni nos 3 episódios da série o melhor de todos os conteúdos dos workshops, palestras e podcasts que realizo para evoluirmos juntos, do jeito que a gente gosta.

Sem virar hippie ☮️✌️, mas encarando a vida de frente, exatamente do jeito que ela é. 💪

Toda sexta feira, pelas próximas 3 semanas, você vai receber um episódio do Hack The Future.

Se você quiser receber o texto desse áudio, e indicar algum amigo para ouvir e aprender com você, acesse hacklife.co/sexta, hacklife.co/sexta e deixe seu email por lá.
Antes de entrar no conteúdo, deixe me apresentar para você:

Eu sou o Renato Stefani, um pesquisador da consciência, dedicado ao desenvolvimento integral do ser humano. 🧠

Sou formado em engenharia mecatrônica, e tenho uma especialização em futurismo e tecnologias exponenciais pela Singularity University, que fica no campus de pesquisa da NASA, na Califórnia.

Nessa época, eu era o mais jovem brasileiro a ingressar na Singularity University, o que fez o meu ego ficar gigantesco. eu achava que seria o próximo Steve Jobs do Vale do Silício. 😂

Voltando para o Brasil, e percebendo que, apesar de todo o conhecimento que adquiri, eu ainda era um ser humano um tanto quanto vazio e pobre em virtudes e valores. eu entrei em uma grande jornada para integrar esse conhecimento com as técnicas ancestrais do Yoga, me formando como instrutor de Yoga, e também integrei com a ciência da Ayurveda (a medicina indiana milenar da longa vida), e atuo até hoje como massoterapeuta Ayurveda.

Além de massoterapeuta Ayurveda, eu escrevo, entrevisto, gravo episódios de podcast, dou treinamentos e palestras a serviço do Hack Life, a empresa que fundei que serve para disseminar esse propósito de integrar ciência, consciência e tecnologia. 🙏

Boom, muito bem… agora que você já está familiarizado com o que vai aprender e sabe um pouco da minha estória, quero te convidar para ligar o modo avião do seu celular, colocar foco total em mim além do tempo e espaço, para começarmos a nossa jornada.

E agora, sem mais delongas…Vamos viajar? Fique à vontade para ouvir, pausar, refletir, anotar… de forma que for melhor para você! Tenha calma, aproveite esse conteúdo e permita-se esse mergulho no futuro ;D

 //  o papel do ser humano no universo

as escrituras antigas afirmam que o ser humano é a expressão máxima da consciência no planeta Terra. se você está lendo a esse texto, provavelmente você deve estar a bordo de um ser desses, o estado da arte da evolução biológica. 😮

há muito tempo atrás, existia uma grande massa de energia presa que em determinado momento decidiu explodir e manifestar a vida, e nesse instante foi criado o universo tal como o conhecemos. 🌌

esse instante, o aqui e agora, é o produto de uma série de acontecimentos aleatórios ocorridos desde essa criação, o que os cientistas chamam de “Big Bang”.

Você alguma vez já tinha parado para contemplar isso? Que você, eu, todo o universo, cada átomo, molécula, planeta, estrela e todas as pessoas que amamos somos o produto de uma explosão? 💥

Pare um pouco e entenda a profundidade desse momento. Da beleza e complexidade que é o aqui agora. Observe como esse momento flui fácil….

 //  o papel da tecnologia no desenvolvimento humano

Seguindo o fluxo dessa explosão e da evolução da consciência, alguns bilhões de anos depois do Big Bang o ser humano passou pelo que os historiadores chamam da “revolução cognitiva”, um ponto chave para o desenvolvimento do intelecto.

A revolução cognitiva nos fez atuar no mundo sem depender do desenvolvimento biológico.

Pense comigo: para outras espécies aprenderem algo, elas dependem do instinto, demorando milhares ou até milhões de anos para que a informação esteja codificada geneticamente no DNA.

Um passarinho sabe fazer seu ninho por instinto, mas qualquer nova informação que ele aprender durante essa vida, ele não será capaz de ensinar a outro passarinho.

O ser humano é diferente. Graças a nosso intelecto desenvolvido, eu posso passar o conhecimento que adquiri durante anos de minha vida para você em alguns minutos, utilizando ferramentas como a fala, gestos, visuais, desenhos, emoções, pensamentos, slides do computador, ou mesmo gravando esse áudio. Se eu aprendi a construir uma casa com um material diferente, mais econômico, eu posso passar essa informação a você, podemos evoluir juntos. 🤝

Por isso que digo que a “revolução cognitiva” é a “hacker” da genética.

A partir do momento em que o ser humano desenvolveu seu intelecto, ele transcendeu a genética para evoluir, para aprender.

Se isso é bom ou ruim para nós, ai já é outra história…. afinal, toda benção tem sua maldição.

Gosto de pensar que a primeira grande tecnologia do ser humano foi o desenvolvimento da mente, do intelecto.

Guarde isso: a tecnologia é uma ferramenta, que permite ao ser humano colaborar e expandir a sua atuação no mundo, além do corpo.

Outra vantagem biológica que ocorreu ao ser humano foi a transição de quadrúpede para bípede, ou seja, quando deixou de usar seus 4 membros para se locomover. 🚶‍♂️

Existem teorias que afirmam que o intelecto do ser humano se desenvolveu ainda mais rápido quando virou bípede.

Com 2 membros livres, fica mais fácil dar asas à criação, à invenção. É um loop construtivo: o pensamento vem, os membros executam, formando um arrojado sistema de criação no mundo. Foi assim que surgiram as primeiras tecnologias criadas pelo homem.

Vamos imaginar como isso funcionava, na prática, e funciona até hoje: imagine que você é um homem das cavernas e de repente dá de cara com um tigre dentes de sabre. 🐯

Se você for brigar com esse tigre mano a mano, com certeza vai perder feio, certo? O sistema biológico do tigre é muito mais avançado que o nosso nesse sentido: ele tem garras, presas, músculos e um couro mais grosso.

Nesse instante, o homem, com seu instinto de sobrevivência ativo, e nutrido de sua capacidade intelectual consegue criar as primeiras tecnologias do mundo.

Usando seus 2 membros livres ele pode construir uma lança, e isso permite a ele amplificar as capacidades do seu próprio sistema biológico.

Munido dessa tecnologia, o homem pode caçar o tigre e garantir segurança e alimento para sua tribo e sua família, suas necessidades básicas de sobrevivência.

Esse é o papel primordial da tecnologia: é uma ferramenta, que permite ao ser humano amplificar suas capacidades de atuação no mundo. 

Repito: é uma ferramenta. ⚒️

 //  a evolução da tecnologia em conjunto com o ser humano

os milhares de anos foram passando, e a tecnologia continua evoluindo, lado a lado com o ser humano, seu criador.

hoje em dia, a tecnologia se apresenta + fluida + sutil e – material.

por exemplo, agora mesmo que estou usando um gravador e um computador para gravar esse episódio. O computador, o smartphone são tecnologias fluidas, eu consigo realizar uma porrada de coisas dentro deles. antes, eu precisava de um toca discos, um disco, uma calculadora, uma máquina de escrever, papel, hoje eu consigo substituir todas essas coisas físicas por 1 só.

e essa desmaterialização, essa sutileza, essa fluidez da tecnologia permite uma nova gama de possibilidades para o ser humano.

a tecnologia possibilita que coisas impossíveis na teoria sejam possíveis de realizar, na prática.

é o inverso de um plano infalível do Cebolinha, por exemplo.

nos planos infalíveis, na teoria, ele sempre consegue ganhar o coelhinho da Mônica. 🐰

mas na prática, ele sempre acaba com um olho roxo.

a tecnologia faz exatamente o contrário. deixa eu te explicar para deixar mais claro:

a Wikipedia, por exemplo, quem iria imaginar que milhões de pessoas amadoras seriam capazes de colaborar para escrever a maior enciclopédia do mundo? graças ao algoritmo da Wikipedia, isso é possível. 🤯

o Airbnb, quem iria imaginar que a maior rede de hospedagem mundial seria possível, sem que a empresa possuísse sequer um só imóvel? isso é possível graças ao algoritmo do airbnb, que une pessoas que precisam de hospedagem, com pessoas que estão dispostas a hospedar. 😲

o Uber, mesma coisa, quem iria imaginar que a maior frota de serviços de transporte mundial acontecesse sem que a empresa fosse dona de 1 só carro? isso é possível graças ao algoritmo do Uber, que conecta pessoas que querem ir do ponto A ao ponto B com pessoas que estão dispostas a dirigir e ganhar por isso. 🚗

o Youtube, a mesma coisa. quem iria imaginar que a maior rede de televisão do mundo fosse possível? qualquer um pode abrir seu próprio canal de TV e produzir conteúdo, e ser muito bem pago por isso hoje. 🖥️

agora, nesse instante, eu estou gravando um conteúdo para você, que será eternizado graças à tecnologia.

e toda essa sutileza, essa fluidez, essa desmaterialização, carregam junto o PODER.

o que nós, seres humanos, estamos fazendo com tanto PODER hoje?

se tem uma coisa que o ser humano não sabe lidar, é com PODER.

para ganhar uma pista de onde esse “poder” está sendo direcionado, vamos observar o fundo de venture capital do Google, o Google Ventures.

Na data desse texto, o GV possui 4.5 bilhões em sua custódia.

Grande parte do portfolio multi-bilionário do Google Ventures é hoje direcionado a empresas de biotecnologia.

empresas como a CALICO, que tem o único propósito de transcender a morte humana. 🤔

é isso mesmo que você ouviu, o grande mistério da vida, a morte, que antes era tema para os espiritualistas, hoje recebe uma abordagem científica, passa a ser um “problema técnico” a ser resolvido por engenheiros.

Os 2 principais cientistas que atacam esse problema no Vale do Silício hoje, são:

Aubrey de Grey, que considera a morte como uma falha no nosso sistema biológico e Ray Kurzweil, o diretor de engenharia do Google, o principal responsável pela popularização do termo da “Singularidade Tecnológica”, onde 2050 homem e máquina se tornarão uma coisa só.

ter tanto poder em nossas mãos traz uma porrada de questionamentos.

será que estamos direcionando nossa energia, propósito, dinheiro na direção correta? 🤔

eu já vivi, estudei, respirei e trabalhei no vale do silício, eu entendo a mentalidade que existe lá.

a mídia no mundo inteiro presta um grande desserviço ao desenhar um mundo maravilhoso, com quadras de ping pong, restaurantes, onde você pode levar seu cachorro no trabalho, amplas áreas de descanso…

todas essas disneylândias particulares acabam abafando problemas seríssimos que a tecnologia tem nos causado.

um dos meus melhores amigos, que trabalha no Vale do Silício, conta pra mim que pelo menos 80% dos desenvolvedores de software do Google estão sob algum tipo de medicamento pesado, anti ansiolíticos ou antidepressivos. 💊

a demanda de trabalho é tão grande, a cobrança pela alta performance, trabalho, trabalho, trabalho, dar o seu melhor, que algumas pessoas chegam a esse nível. alguns chegam até a administrar micro doses de LSD ou outros psicodélicos.

os chamados “hacks” não são mais o suficiente para abafar a epidemia de ansiedade e depressão que existe no mundo moderno.

Em 2015, o The Atlantic fez barulho ao publicar um artigo que explica por que o Vale do Silício é um dos lugares onde existe a maior suicídio de jovens no mundo.

as crianças e adolescentes simplesmente não dão conta do excesso do cobrança e projeção dos pais workaholics.

 //  a “economia da gratidão”

Qual seria a cura para esse cenário da produtividade a qualquer custo? Para essa geração que dizemos estar “doentes da alma”? Se o refúgio para a tecnologia não está nos fazendo seres humanos melhores e mais felizes, onde está a pílula mágica para tanto sofrimento que existe no planeta hoje?

Algum tempo atrás, eu estava no metrô e ouvi a seguinte frase de uma conversa de uma mulher ao meu lado: Deus veio e criou o universo, os planetas, a natureza e os animais…. ai chegou o Satanás e criou o ser humano…”

O ser humano tem uma capacidade destrutiva de tirar o chapéu.

Fico impressionado como conseguimos transformar até mesmo coisas genuínas e divinas em algo sombrio e martirizante.

Como tenho observado acontecer na “economia da gratidão”.

A “economia da gratidão” presta um grande desserviço à humanidade ao tratar o desenvolvimento espiritual como algo lindo maravilhoso, onde todos os seus problemas vão terminar em um piscar de olhos:

“Por que quando você encontrar o seu propósito, você vai sentir um encaixe, você vai criar o seu negócio, vai dizer adeus a seu chefe, vai largar tudo para vender brigadeiro gourmet, virar nômade digital e trabalhar viajando ou vender coco na praia….”

É tudo ZEN, lindo maravilhoso, calmo, gratidão, paz e amor…. mas não é real.

E sabe o que é o pior?

Nós caímos nessa. E depois ficamos nos martirizando:

“Ooooh, céus, Ohhh vida! Não achei meu propósito ainda! O que farei?” 😩

Isso causa nas pessoas uma grande inquietação, uma grande agitação, onde a própria busca do propósito vira um tormento, mais um motivo de ansiedade.

O que eu recomendo nessas horas é: pare de buscar o seu propósito.

Você nunca vai encontrar seu propósito porque o seu propósito não pode ser colocado em palavras.

Simples assim.

E isso eu te digo de coração, não por causa de algum livro que eu li, ou por alguma aula, ou vídeo, foi por tentativa e erro, por experiência própria.

No começo, tentei colocar em palavras o que sentia aqui dentro que era a minha grande missão:

“Construir a plataforma definitiva para lifehacking.”

“Transformar a vida das pessoas.”

“Conectar com a fonte da vida, Deus, em todos os meus atos.”

Foi quando percebi que o propósito é como o próprio amor que sinto. Não dá para colocar em palavras.

É um florescimento, algo que acontece naturalmente, sem busca.

Eu percebi que eu exalo meu propósito simplesmente existindo.

O propósito transcende qualquer atividade ou racionalização da mente.

É algo parecido com o que você experimentou no começo dessa aula, é sair do espaço da mente, dos pensamentos sentimentos e emoções e voltar-se para o vazio da intuição e do amor.

Por exemplo, eu acredito estar atuando no meu propósito aqui, ensinando essa aula para você. No processo criativo de escrever, preparar o texto, na gravação, aquecer minha voz antes de falar, tudo feito com capricho, profissionalismo, carinho e amor nos mínimos detalhes.

Quando gravo podcasts, quando escrevo livros e textos, quando dou aulas de Yoga, ou atendo meus clientes na massoterapia Ayurveda, realizo palestras, aulas e retiros.

Mas eu também atuo no meu propósito quando limpo o xixi e o cocô do Hórus, meu cachorro.

Eu atuo no meu propósito quando limpo o chão da minha casa, passo aspirador, lavo a louça.

Eu atuo no meu propósito quando deixo de lado todos os meus “quereres” (meu “euzinho pequeno”) e sirvo ao próximo.

Quando estou cansado, mas mesmo assim vou e faço um jantar para a minha mulher que chega mais tarde em casa.

Servir não no sentido de submissão, de uma forma hierárquica inferior, servir de forma a entender que o outro está a seu lado, no mesmo patamar, e ao servir a outra pessoa você está servindo a você mesmo. É tudo a mesma coisa.

Para os que só sabem servir aos outros, e tem problemas em voltar a energia para si mesmo, pense que quando você serve a você mesmo você está servindo ao outro.

Quando você cultiva a sua energia, quando você faz o que você ama na vida, quando você se apresenta para o dia a sua frente com garra, determinação, aceitação, amor e fé.

Como você espera servir ao outro sem ter energia?

Do mesmo modo que funciona do lado de lá para os que são muito “altruístas“, o mesmo funciona para o lado de cá, para os que são muito “egoístas”, a chave está em encontrar uma relação harmoniosa nesse “servir”.

É entender, novamente, que ao servir a si mesmo, você está servindo ao outro, e ao servir ao outro, você está servindo a si mesmo.

Somos todos o mesmo ser.

Eu atuo no meu propósito quando escolho amar a minha família, meus amigos e todos os seres vivos, todos os dias.

Às vezes a mente vem e brinca comigo, pensa que meu propósito lindo, maravilhoso, florido seria virar um nômade digital, ganhar dinheiro e ficar viajando pelo mundo totalmente desapegado, ajudando as criancinhas carentes na África, fazendo trabalho voluntário na Índia….

Aí eu volto para o aqui e o agora e lembro do que é necessário, não do que é distração. Me lembro que o propósito é realizado a cada instante, cada respiração, cada atitude.

 //  pare de procurar o seu propósito

Todas as vezes que tento colocar meu propósito em palavras é como se limitasse o meu próprio ser. É algo impossível.

O propósito é algo parecido com o que você fez no começo da aula.

É ganhar comando da sua consciência, acessar esse espaço além de pensamentos, sentimentos e emoções e se conectar a com uma força maior, e servir à essa força.

É como se tivesse um Sol, uma estrela dentro de você, um reator nuclear, e essa força te dá energia.

E o segredo para acessar essa energia é servir.

Para muitos, esse conceito, apesar de simples, pode ser bem complicado de se aplicar. Isso ocorre pois em algum momento da nossa civilização moderna, em nossa busca incessante por felicidade a qualquer custo, acabamos esquecendo o que é a felicidade, de fato.

A felicidade, que é um estado de espírito, que diz respeito à realização, ao serviço ao próximo, acabou sendo confundida por prazer, um estado efêmero.

O prazer diz respeito a uma busca.

E se você está na busca, você está agindo pelo ego.

Você não tem que buscar nada. Você tem que se realizar.

Os prazeres sensoriais da experiência humana acabaram roubando o espaço do propósito nas nossas vidas.

O prazer de um brigadeiro, de um chocolate, o prazer de você estar assistindo à essa aula e ampliando o seu conhecimento…

Isso não tem nada a ver com felicidade.

Se você atrelar a felicidade a algo efêmero, como um relacionamento, uma casa, o dinheiro, profissão, amigos, uma viagem, trocar de carro…. você nunca vai ser feliz, de fato.

Por que tudo que passamos nessa experiência humana é transitório. É efêmero. É passageiro.

A alegria e a tristeza fazem parte de ciclos de altos e baixos.

E alegria não é felicidade.

Se formos buscar lá atrás, na sabedoria ancestral de civilizações antigas como os Maias, os Egípcios, a Índia antiga dá pra perceber que eles já sabiam disso.

Os valores deles eram diferentes. O objetivo primário desses caras era o desenvolvimento do ser humano.

Em segundo lugar, a fama, o poder e a riqueza para dar suporte a esse vetor principal, da realização pessoal.

Hoje, isso mudou um pouco né?

Nossos objetivos primários hoje são a fama, o poder e a riqueza, e ainda ganhamos três novos: likes, shares e seguidores.

E sóóó beeeem depois…. talvez… a pessoa realize em algum momento de sua vida o desenvolvimento pessoal.

É por isso que chamo a geração de hoje de “geração do curto circuito”.

Ao invés de aprender a conectar-se com o fluxo de energia do nosso Sol interior, nossa fonte, e manter a energia presente e estável, começamos a alimentar o nosso ser de pequenos surtos baratos de dopamina, alimentados de likes, shares, fama, poder e riqueza.

Você mesmo, que está me ouvindo agora.

Você está disposto a parar de ficar procurando informações e mais informações em cursos online, vídeos no youtube, livros para finalmente agir e se realizar nesse mundo?

Você está disposto a sair das suas redes sociais para realizar o ser humano que existe em você em toda a sua capacidade máxima criativa?

Será que você está disposto a se empanturrar menos de comida, bebida e dedicar-se ao seu aperfeiçoamento pessoal?

Você está disposto a deixar de comer um brigadeiro e um cafezinho hoje para investir em você mesmo?

Bom, se você estiver realmente disposto(a), tenho uma grande oportunidade pra você. 👇


A principal pergunta que adoramos responder é:
Como podemos nos tornar melhores seres humanos em virtudes e valores frente à tantas distrações e ruído da vida moderna? 🤔

// método hack life: torne-se mestre de si mesmo

Descubra o método completo para superar, de uma vez por todas, o medo, a insegurança, a ansiedade e auto sabotagem de sua vida e instalar novas programações de amor, alegria, leveza, atitude, disciplina e bem estar.

a última turma de 2019 ano começa em novembro
{ 👉clique aqui para aplicar para próxima turma <🤓/> }

O método Hack Life é uma imersão online para você programar seu corpo, mente e alma em apenas 44 dias e desfrutar de uma vida com paz de espírito e equilíbrio emocional, onde o autocontrole, a concentração e o poder de vontade imperam sobre a distração, a ansiedade e a correria. 

Isso é possível através da nossa metodologia que integra arte, ciência, tecnologia e consciência. 

Unimos em um único curso o que existe de melhor da tecnologia da vida moderna com a sabedoria milenar de escolas filosóficas ancestrais.

O método Hack Life é para você, que deseja conectar mundos:

Material com espiritual.

Razão com emoção.

Ciência, tecnologia e consciência. Corpo, mente e alma.

Acreditamos que pequenos atos ordinários formam
efeitos extraordinários, e que viver de forma leve, simples, divertida e equilibrada é possível e fácil.‍

a última turma de 2019 ano começa em novembro
{ 👉clique aqui para aplicar para próxima turma <🤓/> }


// ouça em podcast 🎙️:


// receba por email 📩 :

Por hoje é só….

Até a nossa próxima viagem, aprecie a superfície com sabedoria. 👨‍🚀🌌

Nos vemos na próxima sexta. 👊🙏♥

Enquanto isso, compartilhe esse texto com aquela pessoa que vai curtir filosofar com você:

< clique aqui para enviar via zapzap />


// quero +

Curtiu a sextaFilosofal de hoje? Aqui estão mais 3 coisas que você pode gostar:

< 💭 arquivo com todos os podcasts, entrevistas e sextas filosofais />

< 🧘👨‍🚀 cursos presenciais e online /> desenvolva um método próprio para ser mestre de si mesmo e reprogramar corpo, mente e alma para viver no amor.

< 🚀 palestras e workshops personalizados /> me contrate para falar em sua empresa sobre como viver uma vida leve, simples, divertida e equilibrada. Sem virar hippie, mas encarando o mundo exatamente como é.

————
vC://sextaFilosofal.fechar()


// quero +

< clique aqui para acessar nosso arquivo com todos os artigos />